Arquivo | junho, 2010

MENSAGENS PREGADAS NA IBN

28 jun

ONDE
VOCÊ ESTÁ? ONDE ESTÁ SEU IRMÃO?

“Disse Caim a Abel seu irmão: vamos ao campo. Estando
eles no campo, sucedeu que se levantou Caim contra Abel, seu irmão, e o matou.
Disse o Senhor a Caim: Onde está Abel, teu irmão? Ele respondeu: não sei; acaso
sou tutor de meu irmão?”

(Gn. 4.8-9)

INTRODUÇÃO

Tem cura para o coração de Caim? Será
que se Caim tivesse feito as escolhas certas seguindo os conselhos de Deus
teria sido curado e liberto, e nos será que ainda temos características do
coração de Caim em nosso coração e em nossos comportamentos.

Temos muitos anseios e sonhos,
queremos frutificar na obra, sermos bem sucedidos na família, prosperarmos
financeiramente, sermos curados de enfermidades, mas é preciso identificar
atitudes de Caim em nossa vida, para não interrompermos a boa obra que Deus começou
em nossa vida e Ele o nosso Poderoso Deus ira completá-la.

1. Características
do coração de Caim

“Porque a mensagem que ouviste desde o princípio é esta:
que nos amemos uns aos outros, não segundo Caim, que era do maligno e
assassinou a seu irmão, e por que o assassinou? Porque as suas obras eram más,
e as de seu irmão, justas”

(IJoão 3. 11-16)

a.                 
Mesquinho para com
Deus. (Gn. 4.3-5);

b.                 
Invejas dos outros que
fazem melhor;

c.                 
Impulsionado pelo
espírito de competição;

d.                 
Odeia o seu irmão;

e.                 
Vive debaixo de
maldição: Planta e não colhe (Gn. 4.12), Resiste a pedir Perdão.

f.                   
Magoado com Deus
(Coração Ingrato);

g.                 
Ele não acredita na
mudança de sua vida (Transformação), Deus queria que Caim se arrependesse;

h.                 
Sem direção – vagando
– Terra de Node;

i.                   
Muito ativismo, não
gerou filhos e filhas – Esterilidade, até gera filhos, mas gera filhos
problemáticos.

2. As
causas do coração de Caim

·                    
Onde está o seu irmão?

·                    
Problema na identidade
de Caim;

·                    
A causa do coração de
Caim é de identidade, não recebeu a palavra que o libertava do Pecado (tomar
posse da nova Identidade em Cristo).
 “Conhecereis a verdade
e a verdade vos libertará”
 (Jo. 8.32).

3. A cura
para o coração de Caim.

·                    
Onde você está? (Gn.
3.9) Deus pergunta para Adão.

·                    
Quando você sabe onde
você está, você cuida bem do seu irmão; Estamos assentados com Cristo nos
lugares celestiais para triunfarmos sobre as obras do Diabo.

·                    
Vive o amor ágape
(ICo. 13) (ICO. 6.17); O Amor tudo sofre, tudo pode e tudo suporta.

·                    
Identidade de Líderes;
Marcos 16.17
 “Estes sinais hão de acompanhar aqueles que crêem: em meu nome
expelirão demônios, falarão novas línguas, pegarão em serpentes; e se, alguma
coisa mortífera beberem, não lhes fará mal; se impuserem as mãos sobre os
enfermos, eles ficarão curados”
.

·                    
Completos em Cristo
(Obedecendo ao IDE Mateus 28.18-20);

·                    
Um coração disposto a
levar e ensinar outros o caminho de Cristo;

·                    
Estamos abertos para o
discipulado e para sermos discipuladores e estarmos sendo discipulado;

CONCLUSÃO

Propositalmente devemos combater o espírito de Caim, mas
termos um coração disposto a Servir, amar nossa família e nossos irmãos,
frutificando na obra de Deus.

“Estou plenamente certo de que aquele que começou a boa
obra em vós há de completá-la até o dia de Cristo Jesus”
 (Fl. 1.6).

 

Ministração do Pastor Abe Huber na III Conferencia do MDA
– Fortaleza – CE.

Pr. Adolfo César Batista da Silva

Co-Pastor da IBN Semear

POESIA

27 jun

BRINCANDO DE SER POETA…


VOLTANDO AOS HORIZONTES

De volta aos horizontes,
Onde tudo começou;
Voltando aos primeiros erros
Que pra tão longe me levou!

Os mesmos que me trouxeram de volta,
Aos horizontes das minhas gerais,
Subi Ao norte desci ao sul,
trazendo comigo meus ais.

Volto a avistar este horizonte,
Volto ao recomeço do que hoje sou;
Volto às minhas lembranças
Volto, mas o mesmo, hoje já não sou.

Hoje sou outro homem,
Não! Hoje sou homem!
Ao menos sequer
Sou a sombra do que um dia fui…

Hoje vivo pra glória de Cristo
Que seu sangue por mim derramou,
Hoje vivo só pela Graça,
Do Filho de Deus que na Cruz por mim se entregou!

Anderson Luiz de Souza

PROSTRADO, RENDIDO, AOS TEUS PÉS…

27 jun

AOS TEUS PÉS…


AOS PÉS DA CRUZ

Estou de volta aos Teus Pés,

Prostrado, rendido…
Abate minha carne,
Fortalece meu espírito!
Voltei-me aos pés da cruz
Voltei coração e mente a ti meu JESUS!
De volta a Ti, aos Teus Pés estou,
Totalmente dependente de Tua Graça, de Teu Sangue
Sangue que flui da Cruz do Calvário…
Que flui como um Rio
E minh’ alma tem sede deste Rio
Quero beber, quero mergulhar neste Rio!
Tal qual uma corsa…
Mergulho de volta nestas Águas,
Só assim me verei livre da ira de DEUS
E sua implacável Justiça!
Só nestas Águas
Só neste rio
Só por Teu Sangue
Livra-me da Justiça…
Dá-me Tua Graça…
Rendo-me a Ti!

Anderson Luiz de Souza

É O VENTO

24 jun

 

É
VENTO

 

 

Vem
sobre nós, doce vento

Vem com alento
Vem calmo, lento
Sem demora, atento

Quero vento, quero vento
Quero o tal avivamento
Mas não quero animar vento
Quero o verdadeiro vento
Que venta do dono do vento
Quero a palavra não in-ventada
Quero o vento gostoso da estrada
Que move a poeira, vento amigo
Não o vento do inimigo

Quero a Palavra alimento
E não a palavra "vento"
Quero a Palavra sustento
Não quero acabar em lamento
Ao ver falso avivamento
Sem sombra do vero vento
Vento do Espírito Santo
Vento que embala os santos

Quero o vento, quero o vento
E não só viver de momentos
Pois quem vive só de eventos
No final, de todo, é vento!

 

José Barbosa Júnior

PORÇÃO DOBRADA DO ESPÍRITO

22 jun

UNÇÃO DOBRADA DO ESPIRITO – I Reis 19.15-16 e II Reis 2.9,10

I – CADA CRENTE UM MINISTRO

  • O que é a Crente sendo um ministro?
  • É cada um de nos discipulando e sendo discipulado por alguém “Ide…, pois estou convosco”.
  • Discipulado é um “recrutamento” e não uma sugestão. “Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura, ensinando a guardar o que tenho dito”.
  • Jesus não tem mais nenhuma palavra para nós até as suas ordens serem executadas.
  • Jesus não disse: “Testemunhe!” – Mais sim: “Sedes testemunhas!” foi uma palavra criativa.
  • A unção do Espírito só vem com a obediência. A unção e o ministério andam de mãos dadas.

II – ELIAS TINHA UMA TAREFA

  • Três homens tinham de ser ungidos – Hazael, Jeú e Eliseu.
  • Elias só fez dois terços da ordem de Deus. Ele não ungiu Hazael e Jeú.
  • Quando o seu manto repousou sobre Eliseu, Eliseu recebeu uma “porção dupla” do espírito de Elias.
  • O mesmo Espírito que tinha ungido Elias ungiu também Eliseu para dar continuidade a missão.
  • Depois Eliseu um ungiu Hazael e Jeú.

III – PORÇÃO DOBRADA é UNÇÃO E HONRA

  • Eliseu Pediu: “Peço-te que haja porção dobrada de teu espírito sobre mim” (II Reis 2.9b).
  • A comissão de Elias, com o poder de Elias, transmitido a Eliseu.
  • Uma transferência dupla ocorreu do profeta que estava partindo para o profeta que ia ficar.
  • Eliseu recebeu o revestimento de Elias, mas essa unção era para cumprir a tarefa de Elias.
  • Não foi um pedido para fazer duas vezes mais do que Elias tivera ou fizera, mas uma solicitação para que fosse o herdeiro reconhecido de Elias no ministério profético.
  • Elias fez transferência de vida para Elizeu!
  • Elias ministrou Unção e honra a Elizeu!
  • Elizeu honrou e ministrou a unção de transferência.

IV – A UNÇÃO E A HONRA

  • unção do Espírito Santo e a honra é a Porção dobrada do Espírito sobre nós.
  • Isso é um princípio Divino.
  • Devemos honrar a unção que está sobre os nossos lideres.
  • Muitos Crentes querem a unção mas não querem honrar.
  • Primeira unção – Testemunho de vida no Espírito Santo.
  • Segunda Unção – Unção de honrar no serviço para no Reino de Deus.
  • A Primeira – implica em vida.
  • A Segunda – implica em serviço.
  • Deus tem chamado homens que queiram a porção dobrada do Espírito.
  • Elias disse: Dura coisa me pede.
  • É porque essa obra é transferível somente pra aqueles que querem recebê-la como de Deus.
  • Receber unção de seu líder é receber o poder de Deus.
  • Honrar seu líder é receber dupla unção sobre sua vida.
PR. ALBERTO MACIEL CARNEIRO

O GRANDE DESFIO (Pr. Alberto Maciel Carneiro)

22 jun

O GRANDE DESAFIO

O GRANDE DESAFIO (1 REIS 18.1-40)

Introdução

Na primeira parte de 1 Reis 18, achamos Elias recebendo a ordem divina de se apresentar a Acabe para dizer-lhe que a seca estava a ponto de terminar, depois de três anos.

A ordem de Deus não parece notável até que lemos, no verso 4, que Jezabel, a esposa de Acabe, estava exterminando os profetas do Senhor. Além disso, descobrimos a conversa de Elias com Obadias, o fiel e guardião da casa de Acabe (1 Reis 18.4-14).

Naquela época, podemos dizer que Acabe tinha publicado um decreto tornando Elias o procurado número 1. Obadias temia que, mencionando o nome de Elias diante do rei, fosse levado à morte. Porém, apesar do perigo, Elias estava resoluto: apareceria diante de Acabe.

Quando finalmente conseguiu sua audiência com o rei, acusou-o de conduzir os israelitas para longe de Deus e desafiou-lhe a trazer seus líderes religiosos (os profetas de Baal e de Aserá) e todo o povo de Israel para encontrá-lo no Monte Carmelo. Após três anos de julgamento, o Senhor mostrou-lhes quem realmente é o único Deus verdadeiro.

Temos aqui quatro encontros neste grande dia de Israel:

1. Obadias encontra-se com Elias (v. 1-6)

2. Elias encontra-se como rei Acabe (v. 17-19)

3. Elias encontra-se como o povo de Israel (v. 21-30)

4. Os profetas de Baal encontram-se com o Deus de Israel (v. 20-40)

1. A coragem de Elias

Não deve ter sido fácil para Elias ter a coragem necessária para confrontar Acabe, um rei poderoso que tentava matá-lo. Porém, para desafiar o rei e o país inteiro para uma competição, a fim de provar quem era o Deus verdadeiro, ele necessitava de algo mais que apenas coragem.

Necessitou de uma fé completa e total em Deus. Com uma provocação desse porte, era altamente improvável que Elias descesse vivo do Monte Carmelo caso o desafio falhasse.

Nós sabemos que Acabe e Jezabel queriam exterminá-lo, e se sua idéia tivesse falhado, ele teria realmente sido morto! Elias teve que confiar que Deus não o abandonaria nesse momento e não foi desapontado. 
O Deus de Elias – um Deus fiel, poderoso, presente – ainda demonstra seu poder em nossa vida, e não deveríamos ter medo de confiar em seu poder se agimos conforme sua vontade para cada um de nós.

Se nós confiarmos nele, descobriremos, como Elias, que aquele que confia em Deus nunca será desapontado.

2. Restaurou o altar que estava em ruínas – Ensinando o caminho da vitória e da confiança

No verso 30, vemos que, depois de um dia inteiro observando a dança e a gritaria dos profetas de Baal ao redor do altar, Elias conclamou a todo o povo e disse que consertaria o altar do Senhor, outrora abandonado.

Num gesto carregado de simbolismo, ele tomou 12 pedras – uma para cada tribo de Israel (inclusive Judá que, a esta altura da história, era um reino separado) – e colocou-as ao redor do altar.

Então, Elias fez algo curioso: cavou uma vala ao redor do altar recentemente preparado.

Esta não era uma prática normal de adoração, e certamente as pessoas devem ter desejado saber o por quê daquela vala. Depois de colocar o touro no altar, Elias pediu, dentre outras coisas, água. Depois de 3 anos de seca, isso poderia ser um artigo precioso!

Certamente, as pessoas sedentas teriam almejado a água contida nos jarros. Depois de adquirir um jarro cheio, o profeta esvaziou-o, molhando a oferta e o altar. Esse processo repetiu-se por três vezes, a ponto de a vala encher-se. Assim que o oferecimento estava preparado, Elias parou e orou. Nos versos 36-37, descobrimos seu coração.

O propósito inteiro desse desafio era tentar trazer o povo de Israel de volta para Deus. O profeta orou em humildade e demonstrou total dependência de Deus.

A resposta do Senhor foi imediata: o fogo de Deus caiu do céu, e não só consumiu o touro, mas a água na vala e o altar de pedras também.

Naquela hora, foi decidida a competição, e as pessoas voltaram-se a Deus e disseram: “Só o Senhor é Deus; só o Senhor é Deus!”. Deus tinha usado a coragem de Elias para se levantar diante de um rei assassino e trazer seu povo de volta.


3. O dia “d”

Quando o dia do desafio chegou, Elias acusou o povo de Israel de idolatria e de falta de compromisso com Deus. É interessante que os israelitas não fizeram coisa alguma para responder a acusação! (verso 21).

Depois do silêncio, Elias desafiou: se Baal é poderoso e digno de adoração, então, certamente seus 450 profetas poderiam lhe pedir que respondesse a um sacrifício com fogo. Ele faria o mesmo oferecimento a Deus: um touro no altar, cortado em pedaços. Todas as pessoas presentes concordaram com as condições do desafio.

Elias permitiu que os profetas de Baal ofertassem primeiro, e deu-lhes uma manhã inteira para obterem uma resposta de Baal. Durante várias horas, eles dançaram ao redor do altar construído (talvez o quadro mais descritivo de idolatria, na Bíblia inteira!), sem receberem qualquer resposta.

Ao meio-dia, Elias começou a escarnecer dos profetas de Baal e, por causa disso, eles resolveram adotar medidas mais drásticas para tentarem obter uma resposta do “deus” deles; incluindo se cortarem. Quando chegou o momento de outro sacrifício, Elias começou a trabalhar.

Conclusão

Esta é uma história inesquecível que nos deixa quatro lições eternas.

1. Quando temos certeza de estarmos dentro da vontade de Deus, somos invencíveis.

Nada nos deixa mais temerosos e inseguros do que não ter certeza de estar dentro da vontade de Deus. Por outro lado, não há nada mais encorajador do que saber que estamos dentro dela. Assim, não importa quais sejam as circunstância, pois poderemos resistir.

2. Obediência dividida é tão errada quanto a idolatria declarada.

“Até quando coxeareis entre dois pensamentos?”, perguntou Elias ao povo de Israel. A coisa mais fácil a fazer quando somos oprimidos ou superados em número é permanecer naquele estado medíocre de não comprometimento. Era esse lugar que vivia o povo de Israel; Elias, porém, nunca habitou ali. O profeta lhes disse: “Não é possível continuar neste estado de obediência dividida por mais tempo”.

Elias pediu que o povo saísse de cima do muro da indecisão.

Como você é a mesma coisa: ou você é a favor de Deus ou é contra ele.

3. Nossa ferramenta mais eficiente é a oração da fé.

Quando a coisa chegou no ponto do “preto no branco”, ou seja, quando Baal falhou e Deus estava prestes a fazer sua obra, o único instrumento que Elias usou foi a oração.

Howard Taylor escreveu certa vez sobre a disciplina que seu pai tinha no que se refere à oração.

“Durante quarenta anos o sol nunca se pôs na China sem que deixasse de ver meu pai (Hudson Taylor) em oração”.

4. Nunca subestime o poder de uma vida totalmente dedicada.

Todo aquele episódio gira em torno de uma vida dedicada: a vida de Elias.

Ele era apenas um homem, cercado e suplantado em número por:

· um rei ímpio,

· a ímpia e poderosa esposa do rei,

· 850 profetas e sacerdotes pagãos e

· um incontável número de israelitas descrentes.

· E todos eles foram silenciados e intimidados por aquele único homem dedicado a Deus.