Arquivo | setembro, 2010

MEU DESABAFO (Anderson Luiz de Souza)

24 set

MEU DESABAFO (Anderson Luiz de Souza) para todos
Estou perdendo não só a fé na igreja mas também na religião como um todo. Estamos vivendo em templos onde a Graça de DEUS é desnecessária, ou aliás comprada com o dizimo, ofertas alçadas, primícias entre outras formas de corrupção religiosa. Como por exemplo, unção com óleo, azeite, vinho, profecias e profetadas, entre outras esquisitices completamente desnecessárias à nossa salvação que é pela Graça plena de Deus.
Estamos vivendo em templos e tempos em que os pastores e líderes desta tal igreja e a conhecida religião, muda a linha de pensamento como quem muda de roupa. Procurando um meio ou digamos, uma estratégia de marketing para crescer mais e mais, enriquecendo o próprio ego, deixando de lado a ética, a moral e principalmente a Verdade, o logos; levando a membresia a crer apenas em meias verdades.
Estou descrendo na igreja onde se mostra com dedo indicador (mas com todo "amor"), os erros uns dos outros, mas não os seus próprios.
Estou descrendo de vez na igreja, na religião, (que é adúltera, em todos os sentidos da palavra)e trocou o culto a Deus, pelo culto espetáculo, como um show, onde prevalece a emoção, não a espiritualidade.
Teria muito mais a dizer, pois não falo como leigo, mas melhor parar por aqui. Não quero me arriscar a ser condenado ao inferno por esta corrompida igreja e seus corrompíveis pastores (donos de meias verdades e inteiras mentiras), por ter coragem de expor meus pensamentos (que também são meias verdades).

Anderson Luiz de Souza

A VERDADE EM METADES (Por Kivitz)

22 set

A verdade em metades

A porta da verdade estava aberta,
mas só deixava passarmeia pessoa de cada vez.

Assim não era possível atingir toda a verdade,

porque a meia pessoa que entrava
só trazia o perfil de meia verdade.
E sua segunda metade voltava igualmente com meio perfil.
E os meios perfis não coincidiam.

Arrebentaram a porta. Derrubaram a porta.

Chegaram ao lugar luminoso onde a verdade esplendia seus fogos.
Era dividida em metadesdiferentes uma da outra.

Chegou-se a discutir qual a metade mais bela.

Nenhuma das duas era totalmente bela.
E carecia optar.
Cada um optou conformeseu capricho, sua ilusão, sua miopia.

O poema de Carlos Drummond de Andrade é um convite à humildade e à comunhão. Comunhão não existe sem humildade. E sem as duas, não existe experiência da verdade. A verdade a gente não sabe. A verdade a gente vive quando ela se apropria de nós. A verdade não é coisa da razão, resultado da reflexão. A verdade é soma de corações e não de cabeças. A verdade é coisa fugidia, que não se deixa prender na gaiola dos raciocínios, não cai nas armadilhas dos pensamentos. A verdade é isso, a gente experimenta, saboreia, se delicia, mas não fica com ela como quem tem posse, pois a verdade é maior do que nós, em cada um de nós só cabe meia verdade. E a gente tenta fazer uma verdade inteira juntando as partes e ficando com elas, como quem rouba do outro a metade que está com ele, pra depois a gente ficar dono da verdade. Mas a verdade não participa desse jogo. O jogo da verdade não é soma, é partilha. Não é brincadeira onde quem tem mais meia verdade ganha. É mais como uma dança aonde a beleza e o alumbramento vêm no par, ou até mesmo na roda, aonde as mãos e braços vão se encontrando e se despedindo, até que todo mundo na roda vive a verdade, e brinca com ela cada vez que os braços se entrelaçam e as mãos se acariciam. No fim da noite, quando cada um vai para casa descansar, a verdade também se recolhe, para que no dia seguinte todo mundo se precise novamente. Assim a humildade e a comunhão cuidam da verdade.

Na dança da verdade, meia verdade é verdade com limite, é verdade incompleta, dizendo para todo mundo que as idéias são menos importantes que as pessoas. Quem não consegue entrar na roda é quer espreitar para colecionar fragmentos de verdade, imaginando ser possível ficar dono da verdade e viver tomando conta da verdade, de fato, não vive com a verdade, mas com o capricho, a ilusão ou a miopia. Porque prefere as idéias às gentes, fica com a mentira, porque a verdade é uma pessoa e não um conceito. A verdade é uma pessoa, que gosta de brincar, de rir e de chorar. A verdade é uma pessoa que se dá a conhecer na comunhão dos humildes: “onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, eu estarei no meio deles”, disse a verdade inteira aos que tinham consigo apenas meias verdades.

Ed René Kivitz

A existência do trágico, o trágico da existência!

21 set

 

O que é ou quem é o Ser humano? Qual seu valor para o mundo? Qual o seu significado para o universo?


Tirem a alma eterna do homem e ele será apenas um bicho como qualquer outro animal, sendo muito mais trágica sua existência devido a sua racionalização consciente de sua finitude e morte.
Olhem para o cachorro ou qualquer outro animal, e veja que eles são muito mais felizes do que qualquer um de nós, justamente por nada saberem e não saberem que nada sabem.

(A criança também é um grande exemplo disto, elas são os seres mais felizes do mundo, até o sete ou oito anos, que é a fase da descoberta, onde ela começa a se sentir sozinha, desamparada no universo e a se perguntar: Da onde eu vim? Quem sou eu? Por que estou aqui? E para onde vou?)

O homem descobriu com o passar do tempo que ele não é mais a medida de todas as coisas, sofrendo três duros golpes ao longo da historia humana…..o primeiro foi com Copérnico com sua descoberto de que a terra não é o centro do universo, sendo que ela é quem gira em torno do sol, depois Darwin com sua teoria da evolução desferiria o segundo e grande duro golpe na onipotência humana, e finalmente, Freud no século passado, com sua recém descoberto do inconsciente humano, tirando o homem de sua própria centralidade, mostrando que nós não conhecemos nem a nós mesmos, sendo cada Ser um Ser constituído de universos caóticos particulares e desconhecido.

A verdade também é que nossa falta como nossa não existência não faria como realmente não faz falta ao mundo, mesmo quando nós tentamos nos alto enganar dizendo que nossa vida faz sim, falta para nossos familiares e amigos, mas pense comigo: A vida também de seus familiares e amigos não fazem falta para o mundo, e, portanto, conseqüentemente, sua vida também continua não fazendo falta da mesma maneira ao mundo.

Outro drama de nossa existência é que nós inevitavelmente iremos todos morrer um dia, e junto de nossa morte, se perderá com ela as lembranças de que um dia existimos, pois mesmo que digamos que seremos lembrados pelas pessoas que nos amam, elas também irão morrer e com elas as lembranças de nós.

O que falar então dos nossos desejos, que se consumidos nos leva ao tédio, mas se não satisfeitos, nos levam a frustração?

Diante de todo esse cenário trágico da existência humana, a maior de todas as virtudes, sem duvida alguma é a coragem!
Coragem de Ser e continuar sendo, mesmo sabendo dos riscos, da insignificância e falta de sentido que tem em se viver, pois isso, a falta de sentido é que dará paradoxalmente, sentido mágico, belo e misterioso para nosso existir.

A coragem é que separa os heróis do resto da humanidade….aquele que consegue se levantar, erguendo se além do banal da existência, que olha no olho da tragédia do existir, e consegue mesmo assim, sorrir, dançar e cantar enquanto esta ao mesmo tempo caindo olhando para dentro do abismo, este é o herói que emerge mesmo na tragédia.

Portanto, se podemos dizer que existe uma chave para se viver a existência, ela é o equilíbrio entre a alegria não tão fantasiosa, e a tristeza não tão desesperadora, pois quanto menos ilusões tivermos na existência, mais digerível será as contingências da vida.

Gosto muito da idéia grega das Moiras que tecem o destino tanto dos homens quanto dos deuses, acho até que esse mito sintetiza perfeitamente a idéia do trágico da existência, pois justamente quem tece o destino de todos é cega…..e isto é a vida não é mesmo? Nua, crua e sem sentido algum.

Às vezes privilegia os fracos em detrimentos dos fortes, os maus em detrimento dos bons, e assim por diante, por isso que a idéia do trágico corrói aniquilando toda e qualquer utopia, pois no final das contas, não importa como você viva, o que você faça, pois tudo acabará no nada da existência….portanto, a vida pela própria vida e não uma idéia abstrata perfeita de como viver a vida que nós devemos viver, pois a vida…..ah, a vida é a vida tal como ela é!


Por: Marcio Alves

O SILENCIO…

17 set
Hoje eu me calei! Me calei por não suportar mais meus gritos, meus gemidos e até mesmo meus sussurros que pra nada serviam, a não ser agonizar minh’alma. Calei! Hoje simplesmente calei. Não por faltar palavras, ou talvez até me faltasse, mas hoje enfim eu me calei.

Agora quero ouvir. Só ouvir, talvez a mim mesmo, e aos outros também. Mas quero ouvir. Simplesmente ouvir. Talvez agora ouça em minhas lembranças e somente nelas, uma voz que não sei se tornarei a ouvir novamente.(saudades…) Irei buscar em minhas lembranças conselhos que tenho certeza, estão aqui mas aonde? Vou revirar e rebuscar nos porões de minha mente… de minha memória, sei que estão aqui. Tenho certeza que ainda estão… vou encontrar. Talvez assim eu também me encontre ou me reencontre.
Hoje enfim eu me calei! Hoje eu me calei, hoje eu me calei… me calei. agora eu quero ouvir, ouvir e ouvir. Meu silencio me fez bem, porque enfim eu consegui ouvir…  Hoje eu me calei para poder ouvir e ouvir. pssiiiiiiiiuuuuuuuu deixa eu ouvir… deixa eu te ouvir… deixa eu me ouvir.. somente ouvir. 
Anderson Luiz de souza

UMA ILHA…

17 set
Hoje me sinto como uma ilha. E como uma ilha sozinha no meio do oceano não consegue fazer nada a não ser estar a sós com ela mesmo, vou viajar para dentro de mim

nesta solidão que me invade, pagar o preço quer for necessário para arrancar do Anderson tudo que não presta e não tem valor. Hoje quero estar a sós comigo. Mas sei que uma companhia terei: DEUS! Portanto mesmo que queira não estarei sozinho… Hoje me sinto uma ilha… Mas Deus está comigo… sou uma ilha perdida no meio do oceano…
Anderson Luiz de Souza

ESTAMOS DESESPERADOS POR DEUS?

17 set

ESTAMOS DESESPERADOS POR DEUS?


ESTAMOS DESESPERADOS POR DEUS?

Introdução:

O poeta da vida Davi descreveu essa cena da corça farejando água, sob a areia do deserto, do seguinte modo: “Como suspira a corça pelas correntes das águas, assim, por ti, ó Deus, suspira a minha alma. A minha alma tem sede de Deus, … “ (Salmos 42:1-2).

Uma corça sedenta e exausta caminha pelo deserto. Logo, o animal avista a imagem de um lençol d’água sobre a areia. Começa a correr desesperada ao encontro da única substância que pode matar sua sede.

A corça é um animal de pequena estatura, arisco e de costume migratório. E uma característica interessante: a corça não suporta o confinamento. É um animal dotado de olfato privilegiado que lhe possibilita sentir cheiro de água a quilômetros de distância. É capaz ainda de perceber, metros abaixo da superfície, a existência de um lençol de água.

Em regiões desérticas da África e do Oriente Médio, empresas construíram quilômetros de aquedutos sob a superfície terrestre. E as corças sedentas, ao pressentirem a água jorrando pelo interior dos dutos, correm por cima das tubulações na tentativa de encontrarem a nascente, ou então um possível local por onde essas águas pudessem ser alcançadas.

1. A CORÇA NÃO ACEITA O CONFINAMENTO

Continuamente, todos os dias. Não se permitindo acomodar e fugindo do confinamento.

E nós? Estamos desesperados por Deus? Temos sede de sua presença? Temos corrido, buscado e nos desesperado por mais dEle em nossas vidas? Temos buscado na fonte certa, diariamente? Ou temos nos contentado com a mediocridade do nosso "confinamento"?

Cada um de nós pode ter seu próprio “confinamento”. Coisas que nos prendem e nos impedem de sair em busca da água fresca que tanto precisamos. Podem ser pessoas, situações ou até mesmo “pequenos reinos” que construímos para nós mesmos (“meu emprego”, “meu ministério”, “meu evento”, etc).

Em outra situação a corsa suspira por água quando está fugindo de seu predador. Sua salvação se encontra na água, onde esconde suas pegadas e seu cheiro do predador. Mergulha na água e é salva.

2. A CORÇA VAI SAI E CORRER ATRÁS DE SEU OBJETIVO

Precisamos, como a corça, sair e correr. Precisamos de olfato aguçado para ir na fonte certa, que é Cristo. Afinal de contas, existem fontes sem água (II Pedro 2:17), e nuvens sem água (Judas 1:12).

3. A CORÇA TEM SEDE

A palavra de Deus diz: “quem tem sede, venha; e quem quiser, receba de graça a água da vida." (Apocalipse 22:17).

Note que nesta passagem, Davi faz uma comparação. A sede dele pelo Senhor era comparada ao anseio de uma corça pelas águas. Em se tratando de um homem “segundo o coração o de Deus”, creio que esta comparação pode servir de parâmetro para nossa própria busca. Mas enfim, como é que a corça suspira e anseia pelas águas? É com desespero. Gritando, correndo, buscando, farejando. Com sede. Com olfato privilegiado para localizar a fonte certa.

4. VOCÊ TEM SEDE DE DEUS!

· Sl 42:1,2 Como suspira a corça pelas correntes de águas, assim, por ti, ó Deus, suspira a minha alma. A minha alma tem sede de Deus,do Deus vivo; quando irei e me verei perante a face de Deus? Sl 63:1 Ó Deus, tu és o meu Deus Forte, eu te busco ansiosamente; a minha alma tem sede de ti, meu corpo te almeja, como terra árida, exausta, sem água.

· Como as pessoas demonstram que têm esta sede de Deus? A religiosidade é a principal demonstração.

· O jovem rico era muito religioso e praticava boas obras, porém sentiu que lhe faltava algo. Sua religiosidade não saciava sua sede espiritual e, ainda, encobria seu amor pelas riquezas – Lc 18:18-23.

5. JESUS, A FONTE DE ÁGUA VIVA!

· João 4:14 e 7:37-38 – Deus enviou Jesus para saciar a sede espiritual do homem.

· Ap 22:17 e enfatize o convite do Senhor: aquele que tem sede venha e beba de graça da água da vida!

Conclusão:

Graças a Deus pela água da vida que inundou nossas vidas. Em Jesus temos um manancial de águas onde podemos nos abastecer! Aleluia!


Rev. Alberto


Que hacer con los errores del pasado?

17 set

¿Quién de nosotros no se ha equivocado en esta vida?

Algunas cosas nos traen remordimientos, otras nos causan nostalgia, otras nos entristecen profundamente.

Con todo, no podemos quedarnos recriminando o hiriéndonos por los errores o pecados del pasado. Lo que pasó, pasó. Lo que importa es vivir el hoy; asumir la vida que tenemos ahora; evitar las fallas del pasado para construir un futuro mejor.

Analicemos  este mensaje de Luis Homero:

"Si usted…

fue malo, pero se volvió bueno;
fue infiel, pero se volvió fiel;
fue desleal, pero se volvió leal;
fue tirano, pero se volvió justo;
fue enemigo, pero se volvió amigo;
fue vanidoso, pero se volvió sencillo;
fue arrogante, pero se volvió sereno;
fue orgulloso, pero se volvió humilde;
fue deshonesto, pero se volvió honesto.
Entonces, en vez de lamentarse por su pasado, 
aproveche para vivir bien su tiempo presente"

NUNCA ES TARDE PARA RECOMENZAR UNA VIDA 

Autor
Padre Juca

extraído http://cid-d371aac539f921fe.spaces.live.com/blog/cns!D371AAC539F921FE!401.entry