Arquivo | REFLEXÕES RSS feed for this section

…Se pudesse eu voltaria e você?

20 fev

Imagem

Se pudesse eu voltaria e você?
Se pudéssemos, o que faríamos?
Se pudéssemos será que voltaríamos no tempo?
Se pudéssemos… o que mudaríamos? O que diríamos?
Se pudéssemos faríamos diferente? Seriamos outros?
Se… o que mudaríamos? O que falaríamos? O que seriamos?
Mas não há como voltar, não há como refazer,
Não existe retrocesso no tempo.
Ele sempre caminha para frente, sempre a favor do vento.
Sempre anuncia uma nova estação,
Sempre faz da pedra pó, e o vento… leva!
Cabelos caem, pessoas envelhecem,
Pedras viram pó, mas o tempo não para!
Covarde que és! Não destes-me outra chance.
E as palavras… estas ficam! Sempre irão ficar
Palavras são mais! Muito mais que palavras…
Palavras machucam ou encantam,
Matam ou dão vida. Dê vida, não mate!
Palavras não são apenas palavras.
Podem ser como pregos martelados em madeira
Ou acalanto suave para a alma
Se eu pudesse eu voltaria… mas não posso!
E você, pode?…
Anderson L. de Souza

http://andersonmineiro70.blogspot.com

Se pudesse eu voltaria e você? de Anderson L. De souza é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Brasil.
Based on a work at andersonmineiro70.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available athttp://omundodaanja.blogspot.com/.

Anúncios

Sou predestinada ao inferno?

20 fev

EU SOU UMA PRETERIDA

Me converti era recém casada aos 22 anos na batista (brasileira) ultramegahipertradicional [sic] aprendi que deveríamos querer aceitar a deus, no caso, o famoso (e erroneamente interpretado) “Eis que estou a porta e bato…”,  em conflito com os dogmas impostos eu e meu esposo migramos  para a batista nacional (renovada). Bom até aí tudo bem os sermões eram parecidos, mas ao ingressar no seminário da instituição é que fui conhecer de fato sobre o tema PREDESTINAÇÃO.  Para minha surpresa, mais da metade dos professores (a maioria pastores) eram calvinistas, o que não se refletia em seus respectivos sermões no púlpito (coisa de manipulador mesmo, ou de medroso, sei lá). Então, pude no seminário escolher (???) a qual doutrina seguir. Me tornei calvinista, me senti eleita! SOU PREDESTINADA!  Mas afinal, todos somos! Uns eleitos e outros preteridos.  Mas ainda não satisfeita, busquei entender  mais a fundo e mais e mais… e hoje cheguei a conclusão de que, apesar da doutrina calvinista ter mais base (bíblica), Calvino foi um equivocado e Armínio um perturbado!

Bom, concluo dizendo que sim! EU SOU UMA PRETERIDA, não sou eleita dentro dos moldes da instituição! Não creio na bíblia como sendo a palavra de deus (não consigo conceber como uma palavra viva pode ser retida em papel e tinta), não intento alcançar ser salva, antes, eu quero viver. E viver bem! Comer, beber, dançar, dar e receber prazer… Amar… Viver!

Porque o deus que a igreja prega está longe de poder salvar alguém de algo, se é que há “algo” para que possamos ser salvos deste “algo” (perdoa a redundância). A igreja com seus dogmas é uma instituição falida, com um deus falido, fraco e manipulável. O deus da igreja está morto! Sendo assim, de nada ele pode me salvar e mesmo se este tal deus tivesse o poder de salvar-me, eu não ia querer! Mesmo que este deus insistisse falando que já tinha determinado “antes da fundação do mundo” eu não aceitaria, não aceitaria jamais ser salva pelo deus da igreja!

Eu Sou Uma Preterida (Rozana Anja_Arcanja) / CC BY-NC-ND 3.0

Uma carta aberta aos pais (um lamento e um alerta pela morte do pequeno do David)

26 set

Uma carta aberta aos pais (um lamento e um alerta pela morte do pequeno do David)

     Esta semana um acontecimento trágico ocorrido dia 22 quinta feira, colocou fim à vida do pequeno David, fato este que me abalou profundamente, talvez porque eu tenha um filho da mesma idade, mas não só por isto, mas por eu ser humano e estar sempre aprendendo a comungar da dor de meu próximo. Quero primeiro prestar minhas condolências à família do pequeno David e dizer a seus pais que não sou capaz de alcançar a dor pelo qual eles estão passando. É algo inimaginável que só quem sente sabe a dor que causa tamanha perca. Inda mais sendo da forma que foi, com a arma do próprio pai. Amado, receba meu abraço, sou militar e por isto sei como é ter uma arma em casa, embora eu não mais possua uma.
                Bom não quero alongar-me nesta carta que é um lamento e um alerta a nós pais, não quero jamais que esta carta venha a ser interpretada como oportunista, mas um lamento e um alerta de um pai que poderia estar passando pela mesma dor.
                Quero fazer um alerta para que nós pais estejamos sempre vigilantes com o que nossos filhos têm visto na televisão, na net e principalmente nos vídeo games, pois é sabido como isto pode influenciar de forma negativa uma criança. Eu tendo um filho com esta idade, não consigo ver como uma criança em tão tenra idade pôde ou pode conceber tamanha agressão, não só contra a sua professora, mas principalmente contra sua própria vida.
Outro fato que me chama a atenção é o motivo especifico que o levou a tal atentado contra aquela professora propriamente dito, pois já é de conhecimento que são três professoras. Fico me perguntando, porque contra aquela e não contra a primeira ou a segunda que estiveram na sala antes? Bom, não quero acusar a professora sem sequer conhece-la (espero que esteja bem e em plena recuperação), mas como tenho dois filhos nem escola pública sei bem como funciona e como as professoras tratam seus alunos. Na escola onde meus filhos estudam tivemos que nos dirigir à direção da escola para que mudasse meu filho caçula de sala, isto porque o simples fato da professora fazer um pedido se transformava em ordem para ele, a ponto do pequeno (apenas sete anos) chorar caso não fosse possível atender ao pedido (ordem) da professora (cito como exemplo, pedidos de prendas e coisas assim para que os alunos levassem para escola). O medo de meu filho fez com que eu observasse com mais atenção como a professora tratava não só meu filho, mas também a outros alunos. E confesso fiquei estarrecido com o que vi. E é para isto que eu quero chamar a atenção, para que nós pais possamos perceber qualquer mudança de comportamento de nossos filhos, pois em alguns casos, o buylling  vem da educadora e não de colegas de classe, é lamentável mas é esta a dura realidade das escolas publicas.
Termino esta carta fazendo um pedido a nossos governantes para que olhem para nossas crianças que são o futuro de nosso país e invistam mais em educação e que escolham professores aptos para o ensino e que além de mestres sejam humanos.
Deixo uma pergunta:
Como será o futuro de nosso país se não houver uma mudança radical nas mentes de nossos governantes?
Aos pais do pequeno David digo que nada pode aplacar tal dor, sei que se sentem abandonados por Deus, mas na verdade só Ele pode ajudar a superar tamanha dor.
De um pai que muito se comoveu com este trágico acontecimento,
Anderson Luiz de Souza.

Dor e Angustia

16 jan

DOR E ANGUSTIA

 


Depressão que me atormenta,
O ósculo do diabo sente-se na carne!
Roendo-me até os ossos… Quanta dor!
E eu pergunto-me, onde estás?
Ainda mais uma vez, mas não o vejo,
Não o sinto, mas insisto em crer em Ti!
Grito e clamo, mas ninguém me ouve.
Uma oração, um clamor, e nada!
Sinto-me sozinho na tribulação…
Talvez devesse apostatar…
Indo ao encontro do que não creio,
Ao menos talvez ele me ouça, talvez ele exista…
Anderson Luiz de Souza

Uma Parábola Verdadeira

16 jan

Havia um mestre muito sábio e um discípulo muito tolo. O mestre sempre tentava ensinar ao seu discípulo o seu melhor, mas o discípulo sempre e sempre ignorava os ensinamentos, persistindo em sua tolice.

Então eles se separaram, mas antes o mestre passou ao amado discípulo mais um ensinamento, em forma de parábola, e esta parábola falava de maçãs e de um agricultor de maçãs… Linda parábola, assim como todas as outras que ele contara e ensinara…

Foi então que o tolo discípulo enfim entendeu… O mestre lhe contou uma parábola sobre si mesmo… O discípulo finalmente entendeu, mesmo o mestre lhe explicando de outra maneira, mas o discípulo entendeu da forma certa, o que se comprovou com o passar dos tempos… O discípulo estava certo, o mestre tentou dar outro sentido à parábola, mas pela suas atitudes ele não conseguiu…

O discípulo estava certo. Será que não estaria o discípulo certo em outras vezes também?…

 

JESUS, O HOMEM. COMO AS MULHERES O VIAM? (Rozana Madalena F. Souza)

9 jan
Me pego por vezes pensando de como Jesus era visto pelas mulheres. Vou tentar em poucas palavras falar (em minha frágil e feminina opinião) de como as mulheres viam o homem Jesus, Jesus o homem e como homem. O Jesus que aceitava o perfume de prostitutas, e tinha seu ministério mantido por mulheres.
Assim eu viria Jesus: um homem como os todos os outros homens de sua época, comum, dizendo ser o enviado, o messias, assim como tantos outros antes Dele também o fizeram. Mas Jesus tinha um diferencial, ele exalava um diferencial… As mulheres sentiam este diferencial, Jesus sendo o segundo Adão e não sendo concebido de semente corruptível (semente do homem, pois fora concebido pelo Espírito Santo) exalava uma masculinidade ímpar.  Exalava a masculinidade na sua forma mais perfeita e assim como Adão foi o primeiro e mais lindo, ou seja, em sua masculinidade perfeita antes da queda, assim também era Jesus, que por onde passava, exalava esta masculinidade. Um doce e embriagador cheiro que só as mulheres podiam sentir e perceber… Assim eu vejo Jesus homem, a Perfeita essência da masculinidade.
Ao lavar os pés de Jesus com perfume e secar com os cabelos a prostituta demonstrava gratidão, mas vale ressaltar que este gesto na época, era um convite ao ato sexual. Indo um pouco além, quem sabe ela querendo demonstrar o quão grata ela era, ofereceu o que ela tinha de melhor, um perfume muito caro e quem sabe, seu corpo? Pois era o que ela tinha de melhor… Quem sabe ela não desejou também como talvez outras mulheres desejaram, conhecer aquele misterioso e embriagante cheiro da Perfeita essência da masculinidade que Jesus homem exalava? Quem saberá?
Rozana Bat Zion
(minha esposa, Anja_Arcanja)

reflexões e verdades ( falando sobre a morte)

3 jan

Reflexões e verdades

Estive pensando muito sobre a morte, ou morte. Estive pensando que a morte nada mais é que um aprimoramento. Exatamente isto, um aprimoramento! Ou para uma eternidade de sofrimento ou para uma eternidade de gozo.
Mas a morte é o ponto de partida para o resto de nossa eternidade. Eu já fui um pouco dela ou disto, enfim, eu já fui ela… Mas nela não consegui encontrar uma forma de partir, ou seja, eu quis este ponto de partida para o resto de tudo que viria, mas não encontrei ou não consegui.
A morte trás consigo um cheiro de flor… Senti este cheiro… O gosto… Mas ela não me quis! Eu a desejei, mas ela me rejeitou. Eu que já fiz parte dela e ela de mim… Enfim aqui estou; e agora tenho que encontrar a Vida, (talvez eu já a tenha encontrado, única forma plausível dela, a morte, não ter me quisto) e vou viver esta vida pensando em fazer os outros felizes. Principalmente minha esposa (anja) e meus filhos!
Quero celebrar minha nova vida! (mais uma vez e quantas forem necessárias) eu quero celebrar… Quero falar só sobre a Vida. Só isto! Viver a minha nova vida… Obrigado… Meu Deus…

Anderson Luiz de Souza